A maior floresta tropical do planeta possui uma riqueza inestimável, tanto cultural, quanto biológica. Por ser tão grande, é difícil escolher um destino ao planejar uma viagem para a Amazônia. O turismo no Pará é uma ótima alternativa, tanto na região de Belém, a capital, quanto para quem quer ter uma experiência cultural e ecológica mais profunda, nas comunidades tradicionais próximas a Santarém e Alter do Chão.

 

Belém do Pará e região

 

Mercado ver-o-peso

Medicinas tradicionais da Amazônia vendidas no mercado Ver-o-Peso

Belém do Pará é uma cidade histórica. Porta de entrada para o Rio Amazonas, traz em seu centro velho as lembranças do período colonial, com grandes casarões, igrejas , fortes e monumentos. 

Um dos cartões postais da cidade é o mercado Ver-o-Peso. À beira do rio, centenas de barracas vendem os mais diversos produtos da Amazônia, de peixes e frutos frescos, às famosas garrafadas medicinais, herança da sabedoria dos povos indígenas. É considerado um grande museu a céu aberto!

 

 

A Ilha de Cotijuba está a 1h20 de navegação a partir de Itacoaci (região metropolitana). Lá, o Movimento de Mulheres das Ilhas de Belém (MMIB) promovem o turismo comunitário que oferece a oportunidade de conhecer as culturas da ilha. Uma dica é fazer a oficina de artesanato, que ensina a fazer peças com as sementes e fibras locais. E, claro, é indispensável o banho de rio, na Praia do Vai Quem Quer.

 

Dentro da Baía do Guajará, onde fica Belém, ou nas ilhas próximas, é possível provar as delícias da culinária da Amazônia. Uma viagem apenas para conhecer a cozinha paraense pode ter de três a seis dias. Veja este roteiro curtinho da Vivejar.  Para quem quer ir a fundo, e conhecer o modo de vida e a cultura, o ideal para conhecer essa região é ter pelo menos 5 dias. Veja aqui uma sugestão da Vivejar, o roteiro Belém Ribeirinha

 

 

Produção de farinha

Casa de farinha de mandioca, uma cultura tradicional da Amazônia

 

Alter do Chão e as comunidades do Tapajós

 

Alter do Chão é uma vila da cidade de Santarém, e suas praias formadas na estação seca do rio Tapajós deram fama internacional à região. Atualmente a vila já possui ótimas pousadas e infraestrutura para receber os turistas, que na alta temporada lotam a Ilha do Amor e as praias mais próximas.

O Rio Tapajós nasce no Mato Grosso, corta o Pará e deságua no Rio Amazonas em Santarém. Nos últimos 100km a sua largura chega a 20km, e de uma margem não é possível avistar a outra. As praias de águas doces e quentes, de cor esverdeadas, e com a imensa floresta como pano de fundo, fazem desta região uma das mais bonitas para se conhecer na Amazônia.

 

Barco na Amazônia

Barco do projeto Saúde e Alegria, que acompanha nosso grupo no roteiro de navegação no Tapajós e Arapiuns.

 

 

Extração de mel

Extração de mel de abelhas nativas da Amazônia, na comunidade de Anã

Muitas comunidades ribeirinhas vivem à beira do Tapajós ou de algum dos seus afluentes, como o rio Arapiuns. Na comunidade de Anã, por exemplo, é possível conhecer o projeto de criação de peixes, remando em canoas regionais, e o projeto de manejo de abelhas nativas sem ferrão.

 

Em Atodi, conhecemos o processo de produção da farinha de mandioca, e fazemos a Trilha dos Castanheiros, com árvores centenárias. Outras experiências únicas são nadar no igarapé e remar em canoa no igapó. Estas comunidades fazem parte do roteiro de Navegação no Tapajós e Arapiuns, também da Vivejar, quem tem uma saída prevista para o dia 25 de maio de 2019.

 

A Amazônia Paraense tem opção até para quem gosta de uma viagem mais arqueológica. A partir de Santarém, cerca de 85km rio Amazonas abaixo, fica Monte Alegre. Em uma região acessível apenas por veículos 4×4, chegamos ao parque estadual que abriga algumas pinturas rupestres. As principais são o Painel de Pintura, a Pedra do Pilão e a caverna onde foram feitas escavações arqueológicas. É um paraíso ecológico escondido, e que você pode conhecer neste roteiro da Vivejar.

 

Qual Amazônia conhecer?

O ideal, para quem tem muitos dias, é conhecer tanto a região de Belém quanto Santarém, pois são muito distintas uma da outra.

 

Se você está planejando uma viagem para lá, e precisa de mais informações, entre em contato conosco. A Vivejar é especialista em viagens para a Amazônia, além de promover o turismo de base comunitária na região. Ficaremos felizes em te ajudar!

Se quiser saber um pouco mais sobre o nosso trabalho, leia a postagem sobre turismo e impacto social.

 

Praia em Alter do Chão

O cenário paradisíaco de Alter do Chão.