Amazônia e as belezas do rio Negro

Amazônia de fora para dentro

“ Foram 5 dias naquela cabine, navegando no Rio Negro. Nossa última viagem juntos, os três. E o barco da vida seguiu, cada um para o seu lado. E só na Amazônia eu consegui me reconectar comigo mesma. “

por Marianne Costa, turismológa e fundadora da Vivejar

Passei três viradas de ano na Amazônia, de 2017 à 2019. Foram três anos de recomeços, de cura e de relacionamentos sérios. Com os outros, com a floresta e comigo mesma.

Em 2017, passamos o Ano Novo eu, Maria Luiza (minha filha) e meu ex-marido ressignificando o que viria a ser nosso novo formato de família, dali em diante não mais casados. Foi forte, intenso, doído. Me emociono só de lembrar. Os dois ficaram doentes e eu ali me desdobrei entre os cuidados com eles (família) e a atenção com alguns clientes (trabalho), sem nenhum tempo para olhar para mim e refletir sobre aquele recomeço. Foram 5 dias naquela cabine, navegando no Rio Negro. Nossa última viagem juntos, os três. E o barco da vida seguiu, cada um para o seu lado.