Há 20 anos na Ilha de Cotijuba, a principal das 42 ilhas que integram o arquipélago de Belém, no Pará, uma associação de mulheres tem mostrado que trabalho em conjunto e empoderamento feminino só podem trazer resultados positivos. O MMIB – Movimento das Mulheres das Ilhas de Belém, hoje com 60 associados, 40 deles mulheres, já é conhecido em toda a região por trazer trabalho, autonomia financeira, independência e aumento da autoestima para muitas mulheres.

 

Movimento das Mulheres das Ilhas de Belém

A sede do MMIB na Ilha de Cotijuba | Foto: Diego Arelano

 

Desde 1998, com a fundação do MMIB, as mulheres de Cotijuba conseguiram transformar as poucas oportunidades locais em um mundo de possibilidades. O princípio da união, do associativismo e do trabalho conjunto foi essencial para que isso acontecesse. “A gente nunca esperou chegar tão longe, ter acesso a tanta coisa, tanto conhecimento quanto a gente tem. E tudo o que a gente consegue só vem por causa do trabalho coletivo”, contra Adriana Lima, sócia-fundadora e atual presidente do Movimento das Mulheres das Ilhas de Belém.

 

Hoje, o MMIB desenvolve vários projetos que atendem desde os jovens da comunidade, com curso de informática básica, até a terceira idade, com o Projeto Vida & Companhia, que oferece atividades de lazer e vida saudável para os idosos. Uma Sala de Leitura com mais de 300 livros também aberta para todos e o movimento tem parceria com grandes empresas, como a Natura, para a comercialização da Priprioca (erva natural da Amazônia) e do fruto do Tucumã.

 

Movimento das Mulheres das Ilhas de Belém

Foto: Diego Arelano

 

“O trabalho coletivo feminino conseguiu render muitos bons frutos para nós, tanto no coletivo, dentro da associação, quanto individualmente. Sendo o trabalho em grupo um trabalho de mulheres, isso deixa a gente com uma autonomia muito forte. Prova para todas as mulheres que a gente tem capacidade sim. Não interessa o lugar que a gente está, que é longe de tudo, mas a gente consegue trazer o mundo para dentro da ilha”, se orgulha Adriana.

 

Um dos grandes projetos de destaque da associação é a produção de biojóias, confeccionadas com sementes exclusivamente encontradas na ilha, e de papel artesanal, feito com fibra da bananeira e priprioca. O grupo de artesanato nasceu em 2009 e foi o primeiro grande projeto de geração de emprego e renda do Movimento das Mulheres das Ilhas de Belém.

 

 

Movimento das Mulheres das Ilhas de Belém

A presidente Adriana Lima apresenta as peças de biojóia produzidas pelo MMIB | Foto: Diego Arelano

 

Mais recentemente, o Turismo de Base Comunitária vem se tornando uma grande oportunidade de geração de renda para estas mulheres e de desenvolvimento social e econômico da região. Entusiasmadas e sempre hospitaleiras, elas recebem os viajantes para apresentar a comunidade, o lugar onde vivem, um pouco do seu dia-a-dia e as atividades da associação. O MMIB é parceiro da Vivejar e anfitrião no roteiro Segredos e Temperos da Amazônia e são essas mulheres fortes e independentes que tornam nossa viagem pelo Pará muito mais especial e autêntica.

 

Além de participar de oficinas de culinária e de biojóias, os viajantes têm a oportunidade de se hospedar nas casas destas mulheres e conhecer de perto as conquistas e a realidade feminina local.

 

Movimento das Mulheres das Ilhas de Belém

Foto: Diego Arelano